II - Vardamir Nólimon

Escrito por Gwen. Publicado em Mindon Yáralambion - Torre das Línguas Antigas

II - Vardamir Nólimon

Utulies cuilen i loassë 61 Attarando, ar Atarya loaron alcaressë heruinaryo, ar sila Numenoréva oantië firiëa as 410 loaren.
Nés ane i essë Nólimono melmenen yáre lumequentalen i hostanë Atanion ar Eldaron, panyaina polda parmassen samber se i altë mindonion Armeneloso, yassen se mando i landa harma teceina noleva i yerna Palurino, i ná aquanen vanwa Numenoréva lantassë.
I milmery'ar melmë quentalen ar handa irëa i issëo ar merendi yarë, i andavë cuilerya ar i landa tureina ataryo, ar úmë cenië váquete i mahalma, nan yondo sanda engë hanu , hehtanes i olwincë neuroryanna, Tar-Amandil.
Ananta turenë minë loa, an arquen yondo arna eä lerta onótië ve Aran Númenorëo i Parmessë Aranievar.
Tar-Vardamir, vahaiya i alta cánë nosseryo ar i indóvierya, i Aranwë, callë i antanet i Olwencë Araniéva an neurorya, er quantassë arwa curuvar turello, apa lertanes, rahtië i fairë, er i ófëa ar hroa, vear, vahaia i unqualo, ya um'entë carë Arani, uncuner lencan atalantë i loavar epessë i yana tultë te Ambarello, tanala entessë i morvaxea i utanyava ealaryassen, lalaila manar, yanan linta i hehtan, lá ner nornear.
Valaraina né sérëo ar auleo ilya sinanna yanea Tol Númessëa.



Veio à vida no Ano 61 da Segunda Era, tendo o pai, Tar-Minyatur, 119 anos, no apogeu do seu reinado, e brilho de Númenor e morreu com 410 anos.
Foi-lhe dado o nome de Nólimon por amor à história antiga que recolhia de Homens e de Elfos, compilada em grandes livros nos arquivos das altas torres da capital Armenelos, onde se guardaria o maior registo escrito do mundo antigo, que iria desaparecer por completo na Queda de Numenor.
O seu infatigável amor pela história e preserverança nos costumes e festas dos antepassados, sua já longa vida, e o vasto reinado do pai e não podendo recusar o trono, por ser filho varão legitimo, fez, no entanto, entregar o Ceptro a seu filho, Tar-Amandil.
Mas considera-se ter reinado durante um ano, para que tão nobre filho real possa contar como Rei de Numenor no Pergaminho dos Reis.
Tar-Vardamir, mantendo o alto valor da sua dinastia e o caracter viril da longa vida com que tinha sido abençoado, passou a ordenar que se entregasse o ceptro do rei ao seu sucessor, ainda na plena posse de suas capacidades governativas, podendo depois, então entregar-se à morte ainda de alma e corpo em seu vigor, afastados da decrepitude, que deviam, os Reis, de evitar, antes que a lenta ruína dos anos os levasse do mundo, enodoando-os a mancha escura do fraco fogo em seus espiritos, ao não se revelarem merecedores de júbilo, se à longa vida de pronto, não fossem capazes de renunciar.
Seu reinado foi de paz e prosperidade para toda esta sagrada ilha no Oeste.