Escrita dos Elfos

Escrito por Gandalf. Publicado em Projectos

"Escrita dos Elfos" é um título muito simplista e ao mesmo tempo ambicioso para o trazer aqui.

Não o enganamos. Mas a verdade é que os Elfos têm vários alfabetos, e dentro de cada um deles, "modos", que resultam de nuances associadas ao idioma em que se está a escrever, principalmente, às suas particularidades fonéticas.

Este nosso projecto insere-se no alfabeto Tengwar, a escrita fëanoriana - alguma informação sobre ela aqui.


Ora então, do início.

O Sr. Måns Björkman, um linguísta sueco, possui um site denominado Amanye Tenceli - The Writing Systems of Aman - em http://at.mansbjorkman.net/ - onde explica em grande detalhe o funcionamento de cada um dos alfabetos, e desenvolve também um software para converter a nossa escrita Romana em escrita Tengwar - o TengScribe. Neste existe a possibilidade de serem introduzidos modos, mas lá iremos.
(Por o acharmos tão precioso, guardamos uma cópia deste site, caso um dia aconteça uma fatalidade. Se um dia o link acima não funcionar, pedimos que nos alertem, e activaremos um plano de contingência.)

Para fazer uso do software, devem ter-se instaladas no PC algumas fontes (tipos de letra) de Tengwar. Deixamos links de algumas:

Para instalar, basta descomprimir os arquivos, e copiar os ficheiros terminados em .ttf para a pasta C:\Windows\Fonts

Agora sim, o software:

E, finalmente, o nosso trabalho - o modo "Tengwar Português".

Este foi desenvolvido pelo nosso ilustre Glorfindel, em parceria com alguns Tolkienianos do Brasil, do Lambendili – Grupo de Linguística do Conselho Branco, de que faz parte o famoso linguísta e estudioso de Tolkien no Brasil, Ronald Kyrmse.
Em baixo encontram um arquivo que para além do modo propriamente dito, inclui um readme sobre como instalá-lo e que considerações/limitações tem, e ainda o documento de referência fonética dos colegas brasileiros.

 

I - Elros Tar-Minyatur

Escrito por Gwen. Publicado em Mindon Yáralambion - Torre das Línguas Antigas

I - Elros Tar-Minyatur

"Elros, filho de Eärendil e Elwing, nasceu a 525 da 1ª Era. Ele e seu irmão Elrond eram filhos de meio-elfos e foi-lhes dado a dávida da escolha dos seus destinos, serem contados entre Elfos ou Homens. Elrond escolheu ser contado entre os Elfos e permaneceu em Lindon como um mestre de tradição, mas Elros escolheu ser contado entre os Homens, e foi-lhe dada uma longa vida. A 32 da 2ª Era a ilha de Númenórë é erguida do Belegaer e Elros conduz os Homens seguindo a estrela do seu pai. No interior de Númenorë ficava Arandor, a Terra do Rei; e perto do Meneltarma, a grande montanha consagrada à adoração de Eru Ilúvatar, foi fundada Armenelos, a Cidade dos Reis. Elros é nomeado Rei de Númenórë pelos Valar e nesse mesmo ano, com 90 primaveras, sentou-se no trono de Armenelos e tomou o nome Tar-Minyatur em alto eldarin. Pai de Vardamir, Tindórmiel, Manwendil e Atanalcar, sendo Vardamir o seu primogénito e natural sucessor. Seu reinado foi de paz e prosperidade para toda esta sagrada ilha no Oeste. Governou Númenórë durante 410 anos até 442 da 2ª Era e após 500 dos seus aniversários, abandonou a sua vida de vontade.

I - Elros Tar-Minyatur

Eldarosso, yondo Elwing ar Eärendilo, i nostarya 525 Minyarando. Eldarosso ar tornerya Eldarondo (Sindarinassë Elros ar Elrond) nar yondor Pereldaron ar enten antanë i Eruanna ciltieo umbartintaon imbë Eldar ar Atani. Eldarondo cilmë ná onotina Eldalien ar nortanë Lindenóressë ve Ingolmo, mal Eldarosso cilmë ná onotina Atanin, ar anda né cuilerya. Mi 32 Attearando, Tol Númenorë né ortaina Earenna ar i Atani hilyer Eldarosso elenna atarelyo.
Mityassë Númenoro ná Arandor, i Arano Nórë, ar harë Meneltarmo, i alta oron laitalen Eru Iluvatáro, né carna Armenelos, i Osto Aranion. Eldarosso eryë né ciltaina Valainen Aran Númenoro ar i loa, as 90 tuili, harnë mahalmassë et Armenelostollo, as cilmessë Tar-Minyatur Quenyassë. Atar Vardamiro, Tindormilo, Manwendilo ar Atanalcaro, anaië Vardamir minnónarya ar hilderya. Valaraina né serëo ar auleo ilya sinanna yanea Tol Numessëa.Turneryë Númenorë ter 410 loar tenna 442 Attearando ar apa 500 nostariryava, firneryë seressë.

II - Vardamir Nólimon

Escrito por Gwen. Publicado em Mindon Yáralambion - Torre das Línguas Antigas

II - Vardamir Nólimon

Utulies cuilen i loassë 61 Attarando, ar Atarya loaron alcaressë heruinaryo, ar sila Numenoréva oantië firiëa as 410 loaren.
Nés ane i essë Nólimono melmenen yáre lumequentalen i hostanë Atanion ar Eldaron, panyaina polda parmassen samber se i altë mindonion Armeneloso, yassen se mando i landa harma teceina noleva i yerna Palurino, i ná aquanen vanwa Numenoréva lantassë.
I milmery'ar melmë quentalen ar handa irëa i issëo ar merendi yarë, i andavë cuilerya ar i landa tureina ataryo, ar úmë cenië váquete i mahalma, nan yondo sanda engë hanu , hehtanes i olwincë neuroryanna, Tar-Amandil.
Ananta turenë minë loa, an arquen yondo arna eä lerta onótië ve Aran Númenorëo i Parmessë Aranievar.
Tar-Vardamir, vahaiya i alta cánë nosseryo ar i indóvierya, i Aranwë, callë i antanet i Olwencë Araniéva an neurorya, er quantassë arwa curuvar turello, apa lertanes, rahtië i fairë, er i ófëa ar hroa, vear, vahaia i unqualo, ya um'entë carë Arani, uncuner lencan atalantë i loavar epessë i yana tultë te Ambarello, tanala entessë i morvaxea i utanyava ealaryassen, lalaila manar, yanan linta i hehtan, lá ner nornear.
Valaraina né sérëo ar auleo ilya sinanna yanea Tol Númessëa.



Veio à vida no Ano 61 da Segunda Era, tendo o pai, Tar-Minyatur, 119 anos, no apogeu do seu reinado, e brilho de Númenor e morreu com 410 anos.
Foi-lhe dado o nome de Nólimon por amor à história antiga que recolhia de Homens e de Elfos, compilada em grandes livros nos arquivos das altas torres da capital Armenelos, onde se guardaria o maior registo escrito do mundo antigo, que iria desaparecer por completo na Queda de Numenor.
O seu infatigável amor pela história e preserverança nos costumes e festas dos antepassados, sua já longa vida, e o vasto reinado do pai e não podendo recusar o trono, por ser filho varão legitimo, fez, no entanto, entregar o Ceptro a seu filho, Tar-Amandil.
Mas considera-se ter reinado durante um ano, para que tão nobre filho real possa contar como Rei de Numenor no Pergaminho dos Reis.
Tar-Vardamir, mantendo o alto valor da sua dinastia e o caracter viril da longa vida com que tinha sido abençoado, passou a ordenar que se entregasse o ceptro do rei ao seu sucessor, ainda na plena posse de suas capacidades governativas, podendo depois, então entregar-se à morte ainda de alma e corpo em seu vigor, afastados da decrepitude, que deviam, os Reis, de evitar, antes que a lenta ruína dos anos os levasse do mundo, enodoando-os a mancha escura do fraco fogo em seus espiritos, ao não se revelarem merecedores de júbilo, se à longa vida de pronto, não fossem capazes de renunciar.
Seu reinado foi de paz e prosperidade para toda esta sagrada ilha no Oeste.

III – Tar-Amandil

Escrito por Gwen. Publicado em Mindon Yáralambion - Torre das Línguas Antigas

III – Tar-Amandil

Terceiro rei de Númenorë, filho mais velho de Vardamir Nólimon. Nasceu no ano 192 da 2ª Era e recebeu o ceptro precocemente, quando tinha contado 250 primaveras, já que seu pai renunciou a seu favor. Foi abençoado com dois filhos e uma filha, Elendil, Eärendur e Mairen. Governou Númenor com ventura por 148 anos, contando com o ano em que reinou juntamente com seu pai, Vardamir Nólimon. No ano 590, em Homenagem ao pai, entregou livremente o ceptro ao seu primogénito e herdeiro, Elendil. Abandonou a vida de vontade em 603.

Neldëa aran Númenórëo, minnóna yondo Vardamir Nólimono. Nostarya i 192 Attëarando, ar turneryë Olwincë Araniéva epë lumëo, as 250 tuili, yallo atarelya oantë hildon. Eryë né airitáne atta yondonen ar minë yeldenen, Elendil, Eärendur ar Mairen. Turneryë Númenorë alassenen ter 148 loar, nótina loarnen yasse turnë oataryanen, Vardamir Nólimon. Mi 590, ve laitalë ataren, antanë mirimavë i Olwincë Araniéva minnóna ar hildoryan, Elendil. Firneryë séreavë i 603 attëarando.

IV - Tar-Elendil

Escrito por Gandalf. Publicado em Mindon Yáralambion - Torre das Línguas Antigas

IV - Tar-Elendil

Cantëa aran Númenórëo, erye né i anyára yondo Tar-Amandilo. Onnes i loassë 350 i Attëarando, handeryë i mahalmassë mi 590. Herneryë 150 loar ar haryanë I epessë Parmaiteo istaryanen ar carmeryanen, an tencerye rimbë parmar ar telyanerye i carma ataro atarwa, Vardamir Nólimon: hosta i liéva nyarnar.

Vestaneryë telwa ar haryanerye neldë yondor, atta yendi, Silmarien ar Isilmë, ar i eressë nér ar i telda onnes, Meneldur, Ya né i ento aran.
I allinyenwa yenderya, Silmarien, vestanë as Elatan Anduniëo, vanya osto Ar hópa i númen falaso Númenorëo. I yondo veruo né Valandil ya nauva I minya heru Anduniëo. Nentë I anartaheri apa I nossëo Arano, an nentë indyor Elroso ar nentë voro mica I altar Aranduri I Olwincë Araniévo.

I araniessë Tar-Elendilo i Núnatani entullë I minya lunen i Endorenna, nu i hérë Vëanturo, alta Ciryaher. Carnentë nilmë as Gil-Galad ar I Lindono Eldar ar as I Endoro Atani.
Tar-Elendil anë i Olwincë Araniéva i er yondoryan, Meneldur, mi 740 Attëarando, ya queranë haimë mica I arani: anta I Olwincë Araniéva I neuron epë firë.
Avánieryë séressë mi 751.



Que pretende ser a tradução de:

Quarto rei de Númenorë, era o filho mais velho de Tar-Amandil. Nasceu no ano 350 da 2ª Era e ascendeu ao trono em 590. Reinou 150 anos e foi conhecido pela sua cultura e arte, razão porque também lhe chamavam Parmaitë, pois escreveu muitos livros e compilou diversas lendas tradicionais reunidas pelo seu avô, Vardamir Nólimon.

Casou tarde e teve três filhos, duas raparigas, Silmarien e Isilmë, e o único rapaz e último a nascer, Meneldur, que sucedeu a seu pai.
A sua filha mais velha, Silmarien, casou com Elatan de Andúnië, uma bela cidade e porto da costa ocidental de Númenor, e o filho de ambos foi Valandil, que veio a ser o 1º Senhor de Andúnië. Eram os mais altos em honras depois da Casa do Rei, pois eram da estripe de Elros e contavam-se sempre entre os principais conselheiros do ceptro.

No reinado de Tar-Elendil os Numenoreanos voltaram pela primeira vez à Terra Média, comandados por um grande capitão de barcos, Vëantur. Estabeleceram amizade com Gil-galad e os Elfos de Lindon e com os homens da Terra Média.
Tar-Elendil entregou o ceptro ao seu único filho, Meneldur, em 740 da 2ª Era, o que começou a ser um costume entre os reis, entregar o ceptro ao seu sucessor antes de morrer.
Abandonou a sua vida de vontade em 751.

IX - Tar-Surion

Escrito por Fierce Deity. Publicado em Mindon Yáralambion - Torre das Línguas Antigas

IX - Tar-Surion

Nono rei de Numenórë, terceiro filho de Tar-Anárion. Nasceu a 1174 da 2ª era e foi rei porque as suas irmãs mais velhas recusaram o direito ao trono.
Foi abençoado com dois filhos, Telperien e Isilmo, sendo Telperien a sua primogénita e a herdeira do Rei, segundo a nova Lei de sucessão feita por Tar-Aldarion.
Tar-Surion reinou durante 162 anos e entregou o Ceptro à sua filha, que foi assim a 2ª Rainha reinante. Abandonou a vida de vontade em 1574.

IX - Tar-Súrion

Nertëa aran Numenóreo, neldëa yondo Tar-Anáriono. Nonanë mi 1174 i attëa rando ar né aran an epeselleryar váquenter i lertalë i mahalman.
Neryë antaina atta yondoinen, Telperien ar Isilmo, ar Telperien né i minyelderya ar arano hildë, tambë vinya axan neuro carna Tar-Aldarionen.
Tar-Surion turnë ter 162 loar ar ánë i olwincë araniéva i yelderyan, ya né sië i attëa tári turela. Hehtanë cuivië selmanen mi 1574.

V - Tar-Meneldur

Escrito por Gwen. Publicado em Mindon Yáralambion - Torre das Línguas Antigas

V - Tar-Meneldur

Lempëa aran Númenorëo, neldëa yondo Tar-Elendilo ar neurorya. Nostarya i 543 Attëarando ar anes antaina i essë Írimon, mal eryë né essena Elentirmo, i elenion melindo, an carneryë mindon Sorontildë, oron hrestanna Forostaro, i nóri Formeno, yallo tirneryë i eleni ar ilvë i calar menelo. Turneryë i Olwincë Araniéva mi 740, Armenelostsë, i Osto Aranion, ar anes aran saila. Cilmessë Tar-Meneldur, an eryë ú-oio hehtanë i merë aurin yassen palúva i istarya menelo.
Vessërya né Almarien, yeldë Vëanturo, ciryaher nu aranië Tar-Elendilo, ar nentë laitáner neldë yondoinen, Anardil, Ailinel ar Almiel.
Yondorya Anardil, ya cillë epessë Aldarion, anes taura ciryaquen ar rimbë lender i Endorenna, ar carneryë i nilmë Artanáro (Sindarinassë Gil-galad).
Né i araniessë Tar-Menelduro sa horyanë harya ausa lumbë i Endorenna, cotya Eldain ar Núnatanín; ar haryala i istya sino yondonen, ya tultanë Lindónello hormëo mentar Artanáro i Aranen, Tar-Meneldur antanë i Olwincë Araniéva i hilderyan mi 883 Attëarando, i anquanta turien araniëo.
Tar-Meneldur turnë Númenorë terë 143 loar ar avánieryë séressë mi 942.


Quinto rei de Númenor, terceiro filho de Tar-Elendil e seu único filho varão. Nasceu no ano 543 da 2ª Era e o seu nome era Írimon mas chamavam-no Elentirmo, que significa Vigilante das Estrelas, pois construíu uma alta torre em Sorontil, uma grande elevação na costa de Forostar, as Terras do Norte, donde vigiava o céu e observava todos os movimentos das luzes do firmamento. Recebeu o ceptro em 740, e mudou-se para Armenelos, revelando-se um rei bom e sensato. Assumiu o nome de Tar-Meneldur, pois nunca deixou de ansiar pelos dias em que poderia enriquecer o seu conhecimento do céu.
A sua esposa era Almarian, filha de Vëantur, capitão dos navios no reinado de Tar-Elendil, e foram abençoados com 3 filhos, Anardil, Ailinel e Almiel.
O seu filho Anardil, que adoptou o nome Aldarion, era um grande marinheiro e fez muitas viagens à Terra Média, estabelecendo aliança e amizade com Gil-galad. Foi durante o reinado de Tar-Meneldur que uma ameaça começou a tomar forma na Terra Média, hostil aos Eldar e aos Dúnedain; e ao ter conhecimento disto por intermédio do filho, que trazia de Lindon mensagens de grande inquietação por parte de Gil-galad, Tar-Meneldur abdicou a favor do filho, entregando o ceptro em 883 da 2ª Era, para melhor direcção do reino.
Tar-Meneldur reinou durante 143 anos e abandonou a sua vida de vontade em 942.

VI - Tar-Aldarion

Escrito por Gwen. Publicado em Mindon Yáralambion - Torre das Línguas Antigas

VI - Tar-Aldarion

Enquëa aran Númenorëo, minnóna yondo Almarien ar Tar-Menelduro, utúlies cuilen  loassë 700 Attëarando. Turnes Olwincë Araniéva mi 883 ar herunës 192 loar.

Essërya né Anardil, mal nes antanë epessë Aldarion, an eryë render linaldar ar rimba taurina hilyanë hrestanna carmën ciryaron.
Haryanes ve Vëantur, ammëlyo nosto , i mermë eären ar minya lelië Endorenna carnes mi 725, as 25 Tuili, lúmessë vëaneryo.

Anes taura ciryaquen ar ciryatan ar rimbë lende i Endorenna. Eryë car’nilme as Ciryatan ar Artanáro (Sindarinassë Cirdan ar Gil-galad), yallo anes arandur.

Eryë carnë i Otorn’Uinendilion mi 750 ar entëllo né essena Alta Ciryaheru.

Olornës carë Númenorello minë alta herë ciryaiva ar etsirnen Gwathló, Endorenna, carnës hopassë, Vinyalondë, yallo engë minë latië maurinqua Eryanóressë.

Anes essena Haryon Aran mi 800 Attëarando ar mi 870 vestanës as Erendis, nossello Bëoro, ar anes anvanya; ereavë collës minë miril tirnessë carreanen, antaina Aldarionnen , ar eryë né antanë epessë Tar-Elestrinë, i Heri Elvëa.
Entë haryanë erya minë yendë, Ancalimë, an i rimba círë metyanë i vestarya mi 882.

Nilmenen Artanáro  ar rimberyo lelya Endorenna, Tar-Aldarion haryanë i istya i lumbulë cotya orta te Eryanóressë ar nu aranierya ilya carnë na i pustanë.

Ahyanes i axan Numenorioni yeldenna, minnóran arano, nai nér nai nís, harya i mahalma.

Ahyalë sina axano yerna, feuyanë i indyor Eldarosso, ar Soronto, Aldariono nostar, yondo seleryo Ailinel, ya anes haryon axannen yerna, nainanë i ahyalë.

Tar-Aldarion ahyanë vinyavë i axan, yallo minë túrala tari vestanna, i antaryë i Olwincë Araniéva; ar ya Harya Arano á vestanna indyorinen Eldarosso.
Tar-Aldarion antanë i Olwincë Araniéva yelderyan Ancalimë mi 1075 ar vanwas séressë mi 1098 Attëarando.


------------------------

Sexto rei de Númenor, filho mais velho de Tar-Meneldur e Almarien, nasceu no ano 700 da 2ª Era. REcebeu o Ceptro em 883 e governou 192 anos. O seu nome verdadeiro era Anardil, mas cedo começou a ser conhecido por Aldarion, pois plantava muitas árvores, a fim de fornecerem madeira para os seus estaleiros navais. Herdou do seu avô materno, Vëantur, o amor pelo mar e a sua primeira viagem à Terra Média efectuou-se em 725, quando atingiu a maioridade. Foi um grande marinheiro e construtor de navios e navegou com frequência para a Terra Média, onde se tornou amigo e conselheiro de Gil-galad e Círdan. Formou a Guilda dos Aventureiros em 750 e por eles era chamado o "Grande Capitão". Sonhava fazer de Númenorë uma grande potência naval e no estuário do rio Gwathló, na Terra Média, construiu um porto, Vinyalondë, que era uma importante entrada em Eriador.

Foi proclamado herdeiro do rei em 800 da 2ª Era e em 870 casou com Erendis, que provinha da Casa de Bëor e era muito bonita; a única jóia que usava era um diamante na fronte, oferecido por Aldarion, e passou a ser conhecida como Tar-Elestrinë, a Senhora da Fonte Estrelada. Tiveram uma única filha, Ancalimë, pois devido às suas longas viagens deu-se o rompimento entre o casal em 882.

Devido à sua amizade e aliança com Gil-galad e às suas viagens, cedo tomou conhecimento que algo perverso se agitava na Terra Média e no seu reinado desenvolveu todos os esforços para conter essa ameaça.

Modificou a Lei de Sucessão de Númenorë a favor da sua única filha, para que o primogénito de um rei, fosse homem ou mulher, pudesse herdar o trono. Esta modificação da antiga lei desagradou aos descendentes de Elros e especialmente ao herdeiro segundo a lei antiga, Soronto, sobrinho de Aldarion, filho da sua irmã Ailinel. Numa data ulterior Tar-Aldarion revogou a lei de que uma rainha reinante deveria casar ou renunciar ao Ceptro, e que o herdeiro do rei só devia casar com descendentes da linha de Elros.

Tar-Aldarion entregou o ceptro a sua filha, Ancalimë, em 1075 e abandonou a vida de vontade em 1098 de 2ª era

VII - Tar-Ancalimë

Escrito por Gwen. Publicado em Mindon Yáralambion - Torre das Línguas Antigas

VII - Tar-Ancalimë

Sétima governante de Númenórë e primeira rainha reinante. Única filha de Tar-Aldarion e de Erendis, nasceu no ano de 873 da Segunda Era.  Ancalimë, tal como sua mãe, possuía o amor pela  vida no campo e alternava os seus dias entre Armenelos e Emerië, onde passou a sua infância, razão porque também lhe chamavam Emerwen Aranel, a Princesa Pastora. Permaneceu muito tempo solteira, mas ao ser pressionada pelo seu primo Soronto a renunciar ao trono, casou com Hallacar, filho de Hallatan de Hyarastorni. Tiveram um único filho, http://www.achaten-suisse.com/ Anárion, a quem entregou o Ceptro em 1280. Depois da morte de seu pai, Tar-Ancalimë abandonou toda a política de ajuda a Gil-galad.
Governou orgulhosamente durante 205 anos e morreu em 1285 da Segunda Era.

Otsëa túrala Númenórëo ar minya Tári i camë i Olwincë Araniéva. Erya yeldë Erendis ar Tar-Aldariono, utúlies cuilen  loassë 873 Attëarando. Ancalimë, ve amillërya, haryanë i melmë cuilenen nóressë, ar oantë i aurirya imbë Armenelos ar Emerië, írë avánië auri yanë vendëo; ar sívë nes ánë i epessë Emerwen Aranel. Úmë merë vesta, mal íre i nostarya Soronto i nildë váquetenna mahalma, vestanë as Hallacar, yondo Hallatano Hyarastornio. Haryanentë minë erya yondo, Anárion, yan Tar-Ancalimë antanë i Olwincë Araniéva mi 1280. Apa i vanë ataryo, Tar-Ancalimë avanië  ilya i turë sámeo i Artanáro (Sindarinassë Gil-galad). Camnës ú lissëo ter 205 löar ar firnës mi 1285 Attëarando.

VIII - Tar-Anárion

Escrito por Théoden. Publicado em Mindon Yáralambion - Torre das Línguas Antigas

VIII - Tar-Anárion

Toltëa Aran Númenoreo, yondo Tar-Ancalimeo, i minya túrala tári, ar Hallacar Hyarastornio.
Nostanëryë né mi 1003 Attëarando, ar néryë laitana atta yeldinen ar minë yondonen.
Axannen vinya Tar-Aldariono, i yeldi lertaner harya i epessë Aryoni Arano, mal úmentë merë; san Súrion, toroneryar, tuvunës.
Tar-Anárion turnë ter 114 loar ar ánë i Olwincë Araniéva aryonen mi 1394.
Firneryë séressë mi 1404.



Oitavo rei de Númenorë, filho de Tar-Ancalimë, a primeira rainha reinante, e de Hallacar de Hyarastorni.
Nasceu em 1003 da 2ª Era, e foi abençoado com duas filhas e um filho.
Com a nova Lei de Tar-Aldarion, as filhas podiam possuir o título de Herdeiras do Rei, mas elas não quiseram; então Súrion, seu irmão, recebeu-o.
Tar-Anárion governou durante 114 anos e deu o Cetro do Reino ao herdeiro em 1394.
Morreu em paz em 1404.

X - Tar-Telperiën

Escrito por Gwen. Publicado em Mindon Yáralambion - Torre das Línguas Antigas

X - Tar-Telperiën

Quainëa Túrala Númenórëo ar attëa Tári ya camën i Olwincë Araniéva, minnóni Tar-Súriono. Utúlies cuilen loassë 1320 Attëarando ar turnes Olwincë Araniéva ataryo mi 1556. Camnës ú lissë 175 löar. Avanë veste, terë ya úmës harya yondor. Síve, i nostarya Minastir, yondo torneryo Isilmo, néryë minë Alta Arandur Araniéva. Né i araniessë Tar-Telperieno ya engë ohta Eryanóressë ar né Minastir ye mentanë sámë aran Artanáronna, i minya ohtassë Sauronna; an anes Cáno Ciryar Númenórëo.
Tar-Telperiën antanë i Olwincë Araniéva i nostarya Minastir mi 1731 ar firnës tanassë coranar.



Décima governante de Númenor e segunda Rainha Reinante, primogénita de Tar-Súrion. Nasceu a 1320 da 2ª Era, e recebeu o Ceptro de seu pai em 1556. Governou orgulhosamente durante 175 anos. Recusou-se a casar, pelo que não teve filhos. Devido a isso, o seu sobrinho Minastir, filho de seu irmão mais novo, Isilmo, tinha um alto cargo no Conselho do Ceptro. No reinado de Tar-Telperien houve guerra em Eriador e foi Minastir quem enviou auxílio a Gil-galad (ou Artanáro na forma Quenya), na primeira guerra contra Sauron, pois era o comandante das armadas numenoreanas. Tar-Telperiën entregou o Ceptro ao seu sobrinho Minastir em 1731 e morreu nesse mesmo ano.

XII - Tar-Ciryatan

Escrito por Arwen. Publicado em Mindon Yáralambion - Torre das Línguas Antigas

XII - Tar-Ciryatan

Décimo segundo rei de Númenor, filho de Tar-Minastir, nasceu em 1634 da 2ª Era. Foi um grande navegador e construtor de barcos, o que deu origem ao seu nome, Ciryatan, que significa “Construtor de Navios”. Recebeu o Ceptro em 1869 e reinou 160 anos.
Foi um rei poderoso e construíu uma grande esquadra de navios reais, estabelecendo domínios nas costas da Terra Média e dela vindo tributos, metais e pedras preciosas, o que aumentou os tesouros e a glória de Númenor e do seu rei.
Tar-Ciryatan manifestou-se abertamente não apenas contra a interdição dos Valar, que impedia os homens de viajarem para as Terras Imortais, como também contra o destino mortal dos Homens. Os Eldar de Eressëa comunicaram este desafio do rei aos Valar.
Tar-Ciryatan entregou o Ceptro a seu filho Tar-Atanamir em 2029 e morreu em 2035 da 2ª Era.


Tar-Ciryatan

Aran'yunquea Numenorëo, Tar-Minastiryon, onnes i loassë 1634 Attëarando. Neryë velicë ciryaquen ar samno ciryaivar, ya ontanë esserya, Ciryatan, táno ciryaivar. Túvë Olwincë Araniéva i loassë 1869 ar hernë 160 loar.
Neryë taura aran ar carnë alta i aicaciryarqueni, tulca sarni falassen ar Endorëllo canë malta rohto, tincor ar míri, i ya ohallë harmaryar ar i Númenorëo ar aranelya Númenorëo alcarë.
Tar-Ciryatan pantavë mahtanë umer i Valion Vaqueten, ya tampë i atani lelyava Avallonë, i yandon atanion qualmëa.
I Eression nyarner sin’aran veryamë i Valahirin.
Tar-Ciryatan antanë i Olwincë Araniéva i yandoryan Tar-Atanamir mi 2029 ar avánieryë i loassë 2035 Attëarando.

XI - Tar-Minastir

Escrito por Gandalf. Publicado em Mindon Yáralambion - Torre das Línguas Antigas

XI - Tar-Minastir

Minquëa Aran Numenorëo, Isilmo yondo, Tar-Telperieno toron, ya firnë ú harya indyor. Onnes i loassë 1474 Attëarando ar herneryë 138 loar. I nostaryo i araniessë, epello erye né tára imíca I Olwincë Araniévo Aranduri ve neurorya, ar haryane i hérë i ciryahossëo Numenorëo.
Carnerye alta mindon i Oromet coronessë, harë Anduniëo, yallo yétanerye andavë i Númen i cenien Avallon’estelden. Endoressë, telyanerye yando i ataquë i Vinyalondë hópassëo, ya haryanë yesserya Tar-Aldarionenen. I londë né carna arta ar palyaina; ar irë Tar-Minastir mentanë alta ciryahossë samen Gil-Galad, i minya ohtassë ara Sauron, yuhtanerye tana númenorin londë, ya né entya i ataltien ar autien Sauron et Eriadorello.
Antanerye i Olwincë Araniéva mi 1869 i yondoryan ar aryon, Ciryatan, ar avánieryë séressë mi 1873.


Undécimo Rei de Númenor, filho de Isilmo, irmão da rainha Tar-Telperien, que morreu sem descendência directa. Nasceu em 1474 da 2ª Era e reinou 138 anos; ainda no tempo do reinado de sua tia, já exercia um alto cargo no Conselho do Ceptro como seu sucessor, e tinha o comando das armadas de Númenor.
Construíu uma alta torre no monte Oromet, perto de Andúnië, onde passava muito tempo a olhar para ocidente, na esperança de ver Avallónë. Também terminou as obras iniciadas por Tar-Aldarion no porto de Vinyalondë, na Terra Média, fortificando e alargando o porto; e quando enviou uma grande esquadra em auxílio de Gil-galad, na primeira guerra contra Sauron, usou esse porto numenoreano, o que foi decisivo para vencer e expulsar Sauron de Eriador.
Entregou o Ceptro em 1869 ao seu filho e herdeiro, Ciryatan, e abandonou a vida em 1873.

XIII - Tar-Atanamir

Escrito por Arhandë. Publicado em Mindon Yáralambion - Torre das Línguas Antigas

XIII - Tar-Atanamir

Minya rastëa aran Numenoro, nonaina min 1800 attëa rando, Tar-Ciryatano yondo. Sacanë núravë i Endorë ar i mardoron; ar as ta tiuyanë rimba i alma ar i taura Numenoro. Ter né epessína "I Alta".
I Tar-Atanamir auressen, Númenor rahtanë i aicalë turë, nan i mordo hirtanë i minyar tehtar silúmëo i tolessë. Tar-Atanamir nattirnë i alquemín mentari yar er tuller Numenellon ar vaquentë pantavë i Valaron canwan, vë rimba Numenorlië; ar i óri tar antanion queraner ara i Eldar ar i Valar.
Yando né yalaina "I Avarë" an né i minya aran Numenoro i vaquentë avarta i cuilë var anta i vantil.Firnë min 2221 attëa rando.


Tar-Atanamir

Décimo terceiro rei de Númenor, nascido em 1800 da Segunda Era, filho de Tar-Ciryatan. Explorou intensamente a Terra-Média e seus habitantes, e com isso aumentou muito a riqueza e o poder de Númenor. Por isso, foi cognominado "O Grande".
Nos dias de Tar-Atanamir, Númenor atingiu seu apogeu, mas a Sombra deu os primeiros sinais de presença na ilha. Tar-Atanamir ignorou os conselhos dos mensageiros que ainda vinham do Oeste e opôs-se abertamente à proibição dos Valar, como muitos dos Númenorianos; e os corações destes Homens voltaram-se contra os eldar e os Valar."
Também foi chamado "o Relutante", pois foi o primeiro Rei de Númenor a recusar-se a abandonar a vida ou entregar o cetro. Morreu em 2221 da Segunda Era.