Arwen Undómiel

Escrito por Mith. Publicado em Personagens

Datas: nasceu no ano 241 da 3ª Era do Sol, morreu no ano 121 da 4ª Era do Sol.
Raça: Meio-elfo
Divisão: Descendente dos Noldor, Sindar e Edain
Cultura: Originalmente de Rivendell, depois Gondoriana
Casa: Casa de Elrond
Títulos: Evenstar, Undómiel
Significado do nome: undómiel significa "estrela vespertina"

Arwen foi filha de Elrond com Celebrían, e deles recebeu o nome de Undómiel Evenstar (estrela vespertina). Ela nasceu em Rivendell, e por algum tempo viveu em Lothlórien com a família de sua mãe... mas muito pouco é conhecido sobre os séculos que passou com Galadriel, senhora de Lórien. A beleza de Arwen era famosa, de fato, em toda a Terra-média não existia uma filha dos elfos (ou dos homens) tão encantadora quanto Arwen Undómiel, e diziam que nela, a figura da lendária Lúthien Tinúviel havia voltado à vida. Quando Arwen conheceu Aragorn ela já havia vivido mais de três mil anos mortais, diz-se que Aragorn estava caminhando pelas florestas de Imladris, e ele cantava, pois a vida lhe parecia bela e cheia de esperanças. E de repente, viu uma donzela caminhando num gramado por entre os troncos brancos das bétulas. Aragorn parou assustado pensando estar perdido num sonho, ou então que havia recebido a dádiva dos menestréis élficos, capazes de fazer as coisas por eles cantadas aparecerem diante dos olhos de quem os escuta.

Aragorn estava cantando a Balada de Lúthien, que fala sobre o encontro de Lúthien e Beren nas florestas de Neldoreth. E eis que Lúthien estava caminhando a sua frente, vestindo um manto prata e azul, os cabelos balançando suavemente na brisa, pedras preciosas pairando numa tiara em sua fronte como pequenas estrelas, bela como o crepúsculo de Valinor. Por um momento Aragorn observou em silêncio, e então por medo de que ela desaparecesse gritou: - Tinúviel! Tinúviel! - da mesma forma que Beren fizera nos Dias Antigos, muito tempo atrás.

Então a donzela se voltou para ele e sorriu, dizendo: - Quem é você? E por que me chama por este nome?

E ele respondeu: - Porque achei que você fosse realmente Lúthien Tinúviel, sobre quem eu estava cantando. Mas se você não for ela, então caminha na imagem dela.

- Muitos já me disseram isso - respondeu em tom grave - mas o nome dela não é o meu, embora talvez nossos destinos não sejam diferentes. Mas quem é você?

- Estel era meu nome - disse ele - mas sou Aragorn, filho de Arathorn, Herdeiro de Isildur, Senhor dos Dúnedain. – Mas no momento em que ele falava, sentiu que sua alta linhagem, que lhe trazia alegria ao coração, valia agora pouca coisa, e não era nada em comparação à dignidade e beleza dela.

Este foi o primeiro encontro de Arwen e Aragorn, e deste momento e diante o coração de Aragorn estava sempre voltado para ela. Arwen, até este momento, ainda não amava Aragorn, mas isso já estava tornando-se um fato, algo que força alguma poderia alterar, um dos grandes desígnios do mundo. Mas Arwen não seria facilmente conquistada, e nem sua mão concedida por um preço menor que os das próprias Silmarils. Quando Elrond soube que Aragorn estava apaixonado por Arwen, lhe negou o pedido, e disse que ela não seria sua por preço ou promessa alguma.

Com isso Aragorn sentiu a tristeza consumi-lo, mas amava e respeitava Elrond e, portanto, despediu-se dele carinhosamente e passou a viajar por toda a Terra-média combatendo os servos se Sauron onde quer que estivessem. Seus caminhos foram longos e difíceis, e ele assumiu uma aparência rústica, a não ser quando casualmente sorria; e mesmo assim os homens o consideravam digno de honra, como um rei no exílio, nos momento em que não escondia sua verdadeira aparência. Aragorn circulou sob muitos disfarces e obteve fama sob muitos nomes. Cavalgou com o exército dos Rohirrim, lutou para o Senhor de Gondor por terra e mar, e depois, na hora da vitória, desaparecia para não mais ser visto pelos homens.

Apenas quase trinta anos depois Arwen e Aragorn voltaram a se encontrar. Arwen estava em Lórien quando Aragorn, retornando de uma viajem ao leste, voltou a floresta dourada. Ele não sabia que Arwen estava lá, e ela mudara pouco pois tinha a vitalidade dos Eldar. Mas Aragorn estava mudado, atingindo a plenitude de corpo e mente, e Galadriel pediu que tirasse suas gastas roupas de viajem e o vestiu em prata e branco, com um manto cinza-élfico, colocando uma pedra brilhante sobre sua testa. Então sua aparência ficou superior a de qualquer homem, e ele mais parecia um Senhor Élfico das Ilhas do Oeste. Tão nobre era a aparência de Aragorn que Arwen também começou a amá-lo, e decidiu que compartilharia de seu destino daquele dia em diante.

Então por um tempo os dois passearam juntos nas clareiras de Lothlórien, até que chegou a hora de partir. E, na tardinha do solstício de verão, Aragorn, filho de Arathorn, e Arwen Undómiel, filha de Elrond, foram até a bela colina de Cerin Amroth, no centro daquele lugar, e andaram descalços sobre a relva sempre verde com as flores de elanor e niphredil a seus pés. E ali, sobre aquela colina, olharam para o leste, na direção da sombra, e para o oeste, na direção do Crepúsculo, e comprometeram-se um com o outro.

E Arwen disse: - Escura é a sombra, e mesmo assim meu coração se alegra, pois você, Estel, estará entre os grandes cuja coragem irá destruí-la.

Mas Aragorn respondeu: - Infelizmente não posso prever este fato, e o modo como virá a acontecer está oculto para min. Mas com sua esperança hei de esperar. E rejeito a Sombra com todas as minhas forças. Mas da mesma forma, senhora, o Crepúsculo não é para min; pois sou mortal, e se você ficar ao meu lado, deverá também renunciar ao Crepúsculo.

Ela então ficou imóvel como uma árvore branca, olhando para o oeste, e por fim disse: - Vou ficar ao seu lado, Dúnadan, e dar as costas ao crepúsculo. Mas apesar disso, lá fica a terra de meu povo, e a antiga casa de toda a minha família. – Ela amava o pai intensamente.

Quando Elrond soube da escolha da filha, ficou pesaroso, e embora seu coração se tivesse se entristecido, percebendo que o destino a tanto tempo temido não era fácil de suportar, ele sentia que a união de Aragorn e Arwen era algo fora de sua escolha. Por isso, quando Aragorn chegou a Imladris ele mandou chamá-lo e disse:

- Meu filho, aproximam-se os anos em que a esperança vai desaparecer, e além deles pouco está claro para min. E agora uma sombra paira entre nós. Talvez assim tenha sido prescrito que por minha perca o poder dos reis dos homens possa ser restaurado. Portanto, embora o ame, digo-lhe isso: Arwen Undómiel não diminuirá a dádiva de sua vida por uma causa menor. Ela não será noiva de ninguém que não seja o rei de Gondor e Arnor. Para min, até mesmo nossa vitória só poderá trazer tristeza e separação – mas para você poderá trazer esperança e alegria, por um tempo. É uma pena, meu filho! Receio que para Arwen o destino dos homens possa ser difícil no final.

Longos anos se passaram, e no ano 3000 da 3ª Era do Sol o Um Anel de Sauron foi encontrado. Aragorn ajudou Frodo e os hobbits em sua jornada a Imladris, e quis o destino que Arwen também lá estivesse no momento de sua chegada. Quando Frodo a viu pela primeira vez ficou paralisado por sua beleza e assim a descreveu: "as tranças escuras de seu cabelo eram negras como a noite, seus braços brancos e face não tinham defeitos, olhos cinzentos e profundos onde era possível ver muitas eras de conhecimento". Arwen ainda continuava bela, mas Aragorn não se permitiu vê-la, não ainda, pois seu amor não concretizado doía-lhe a alma.

Após a Guerra do Anel e a queda de Sauron, Arwen casou-se com Aragorn em Minas Tirith com a benção de Elrond. A separação de seu pai e seu povo foi dura pare Arwen, pois nisso ela escolheu ser uma mortal e viver entre os homens pelo mesmo tempo de suas próprias vidas. Aragorn e Arwen viveram juntos por 120 anos como Rei e Rainha do reino reunido de Gondor. Mas Aragorn apesar de ser um Dúnedain de linhagem pura ainda era um mortal, e chegou ao fim de sua longa vida. Em sua cama, nos seus últimos momentos, ele falou a Arwen que insistiu em partilhar seu destino e ficar junto dele após a vida, seja qual for o desígnio de Eru para os homens.

Assim a Terceira Era terminou com vitória e esperança, e apesar disso, melancólica entre as tristezas daquela Era foi a despedida de Arwen e Elrond, pois os dois foram separados pelo grande mar do oeste e por um destino que ultrapassava o fim do mundo. Quando o Grande Anel foi desfeito, e os três foram despojados de seu poder, Elrond por fim ficou cansado e abandonou a Terra-média para nunca mais voltar. Arwen tornou-se uma mulher mortal, mas apesar disso não morrer até perder tudo o que havia ganho.

Como rainha dos elfos e homens ela viveu com Aragorn por cento e vinte anos, em grande glória e felicidade, mas por fim ele sentiu a aproximação da velhice e sabia que seu tempo de vida estava se esgotando, por mais longo que pudesse ter sido. Aragorn dirigiu-se para a Casa dos Reis, na Rua Silenciosa, e deitou-se no leito que lhe fora preparado. Lá passou a seu filho, Eldarion, o cetro de Arnor e a coroa Alada de Gondor. Então todos se foram, deixando Arwen e Aragorn sozinhos. E mesmo com toda a sua sabedoria e nobreza, ela não pode evitar de implorar que ele ficasse ainda por mais algum tempo. Arwen ainda não estava cansada da vida, e assim provou o gosto amargo da mortalidade que assumira para si... e Aragorn finalmente partiu dos círculos do mundo.

Quando Arwen saiu da Casa dos Reis, a luz de seus olhos se apagara, e seu povo teve a impressão de que ela se tornara fria e cinzenta como o cair de uma noite de inverno. Então ela disse adeus a Eldarion e partiu de Minas Tirith, foi para a terra de Lórien e viveu lá, sozinha, sob as árvores que iam murchando, até que o inverno chegou. Galadriel tinha-se ido, Celeborn também, e a terra estava em silêncio. Então por fim, quando as folhas de mallorn estavam caindo, mas a primavera ainda não havia chego, Arwen se deitou para descansar sobre Cerin Amroth, e lá está seu túmulo verde, até que o mundo se altere e todos os dias de sua vida sejam completamente esquecidos por homens que vieram depois, e elanor e niphredil não mais floresçam a leste do mar... e assim termina a história de Arwen Undómiel, a Estrela Vespertina.

Artigo escrito por mith