Samwise, o Bravo e Frodo dos Nove Dedos

Escrito por Arwen, a Estrela Vespertina. Publicado em Arte dos Membros

Samwise, o Bravo e Frodo dos 9 dedos

Uma vez surgiu
Um mal que tudo abateu
Nada se via luzidio
Um mar de escuro como o breu

Transportava com pesar
Um hobbit com saudade
Nas suas mãos um anel
E o futuro da humanidade

Frodo se chamava
Mas sozinho não estava

A seu lado tinha um amigo
Com um grande coração
Sem conhecimento antigo
Mas com um espírito de leão

Viajavam para a perdição
Onde a esperança se ia apagar
O destino o Monte da Condenação
Os seus espiritos sem querer avançar

O fardo era muito pesado
O engano, demasiado
Porque a seu lado ia
Gollum como guia

Chegando aos portões negros
Um mal horrível havia a enfrentar
Shelob chamavam à aranha
Que nada conseguia derrubar

Aí Sam provou ser leal
O seu amo não abandonou
Lutou como de sangue real
A aranha magoou

Chegados ao local referido
Como Monte da Perdição
Gollum cumpriu seu destino
A Frodo cortou o anel da mão

Assim termina a missão
Destes dois hobbits de grande coragem
Sem o seu grande coração
De nada valeria a viagem.


Este poema foi escrito por Arwen, a Estrela Vespertina